Elisabete Jacinto não arrisca no prólogo

A piloto portuguesa Elisabete Jacinto iniciou hoje a sua participação no Rallye Oilibya du Maroc onde averbou a quinta posição entre os camiões e a 11ª da categoria Open, na Super Especial de 12 quilómetros cronometrados que se disputou em torno de Fez, em Marrocos. A equipa Bio-Ritmo® cumpriu este curto sector selectivo, que teve o argentino Frederico Villagra como vencedor entre os T4, sem qualquer dificuldade.

Elisabete Jacinto optou por realizar esta Super Especial com alguma cautela, por forma a não comprometer a corrida, porque o percurso sinuoso de montanha não era favorável aos camiões: hoje fizemos um curto prólogo na zona de Fez. Era uma pista de montanha, estreita, com muitos precipícios e buracos enormes. Havia imensos perigos e para nós que vamos num camião as coisas tornam-se ainda mais complicadas. Por isso decidi jogar à defesa por forma a não cometer erros. Quando temos uma longa corrida pela frente não compensa arriscar, particularmente num percurso tão curto como o que tivemos hoje. Já sei que o prólogo nunca é o meu ponto forte pois demoro um pouco a adaptar-me. Assim, preferi entrar com alguma cautela mas correu tudo bem explicou a piloto portuguesa.

Uma nota de destaque vai para o facto de a piloto Elisabete Jacinto ter sido ontem homenageada pela NPO, entidade que realiza este rali, durante a cerimónia de abertura do Rallye Oilibya du Maroc. Como forma de assinalar o décimo aniversário da prova, a organização decidiu atribuir a alguns pilotos de moto, carro e camião um prémio de distinção pela sua frequente participação, palmarés e também pelos valores humanos demonstrados ao longo destes dez anos em que se concretizou este rali. Para além de Elisabete Jacinto foram também homenageados Paulo Gonçalves, Nasser Al-Attiyah, Bruno da Costa, Rafal Sonik, David Fratigne entre outros.

Amanhã cumpre-se a primeira etapa do Rallye Oilibya du Maroc 2017 a qual será disputada entre Fez e Erfoud e contará com uma especial de 367,18 quilómetros. Nesta jornada os trilhos vão alternar entre percursos pedregosos e pistas rápidas e sinuosas. A navegação será particularmente complexa o que vai exigir extrema concentração tanto dos pilotos como dos navegadores.

Bookmark the permalink.

Comments are closed