Elisabete Jacinto promete ser competitiva

A poucos dias do início do 10º Morocco Desert Challenge a piloto Elisabete Jacinto e a equipa Bio-Ritmo® ajustam os últimos detalhes para darem início à sua terceira participação nesta competição. Os portugueses estiveram nos últimos dias na região de Erfoud, uma zona de Marrocos muito conhecida pelas condições propícias para a prática do todo-o-terreno, onde puderam testar a performance do MAN TGS.

Com uma vasta caravana, composta por cerca de 700 participantes, esta edição do Morocco Desert Challenge será bastante disputada. A corrida vai contar com 30 equipas de camião inscritas sendo os nomes mais sonantes o de Martin Van Den Brink, Igor Bouwens, Ales Loprais e Gert Huzink. Todos estes pilotos conseguiram ao longo das suas carreiras alcançar resultados de destaque na categoria camião, a saber: Martin Van Den Brink, da equipa Mammoet Rally Sport, venceu as três últimas edições desta corrida. Igor Bouwens, da formação belga Gregoor Racing, foi o segundo classificado da edição de 2016 desta corrida. Ales Loprais, que representa os checos da InstaForex Loprais Team, já venceu o Silk Way e teve resultados de topo no rali Dakar.  Gert Huzink venceu, em 2016, a categoria Camião no Rali Oilibya Du Maroc e, em 2015, foi o vencedor do Libya Rally.

Perante este painel de talentosos concorrentes e formações bem preparadas, Elisabete Jacinto reconhece que a competitividade nesta prova é muito grande, mas acredita também que a sua equipa tem competências que lhes permite destacar-se dos seus adversários e, por este motivo, admite que é possível alcançar uma boa classificação: “temos uma boa equipa… já muito rodada e experimentada. Trabalhamos bastante bem em conjunto e conhecemos bem o terreno em Marrocos. Se o azar não nos bater à porta tenho a certeza de que conseguiremos ser competitivos… e vamos fazer por isso!”, refere a piloto.

Além da equipa Bio-Ritmo® este ano vão estar nesta corrida 18 portugueses. Paulo Rui Ferreira acompanhado de Jorge Monteiro e Lourenço Guimarães, integrado numa equipa francesa, representam as cores lusas na categoria automóvel. Nuno Guilherme, nos SSV, e Mário Patrão, nas motos, compõe a restante comitiva lusa nesta competição.

Elisabete Jacinto testa em Marrocos

A piloto Elisabete Jacinto e a equipa Bio-Ritmo® já partiram para Marrocos onde no próximo dia 14 de Abril terá inicio, em em Saïdia, a 10ª edição do rali Morocco Desert Challenge.

Antes de se dirigirem para Agadir os portugueses farão uma pausa em Erfoud onde vão realizar alguns testes com o MAN TGS de competição. O seu principal objectivo consiste verificar o seu bom funcionamento, proceder à afinação dos amortecedores e, simultaneamente, permitir  uma mais rápida adaptação da equipa ao ritmo de prova que os espera.

Desta vez não fizemos nenhuma evolução particular no MAN. Acima de tudo, concentrámo-nos na sua manutenção e substituímos vários componentes importantes de modo a garantir o seu bom funcionamento. Por essa razão, é importante rolar alguns quilómetros antes da prova. Assim, tiramos partido da viagem e vamos dois dias mais cedo. Queremos  também aproveitar para treinar um pouco já que em Portugal tal é bem mais difícil”, declarou Elisabete Jacinto.

Neste décimo ano em que se realiza o Morocco Desert Challenge a organização anunciou que será um dos mais duros de todas as edições já realizadas. São esperados percursos difíceis com predominância de pistas de areia assim como passagens de montanhas com traçados sinuosos e rochosos e, neste sentido, é necessário a equipa estar ao melhor nível para atingir os resultados de topo que se propuseram alcançar.

Dificuldades de percurso entusiasmam Elisabete Jacinto

Já são conhecidas as características do percurso do Rali Morocco Desert Challenge, onde a piloto Elisabete Jacinto e a sua equipa irão participar entre 14 e 22 de Abril. Este rali, com mais de 700 participantes oriundos de 24 países é, atualmente, o segundo maior rali de todo-o-terreno do Mundo.

Seguindo a sua tradição, a edição de 2018 caracteriza-se por um percurso que se desenvolve de Sul para Norte com zero quilómetros de ligação. Tem início em Agadir, no sul de Marrocos junto ao Oceano Atlântico e, no 15 de Abril, vai cumprir na Praia Branca um prólogo de 77 quilómetros.  Segue depois para Norte terminando no dia 22 de Abril em Saïdia, junto ao Mar Mediterrâneo. São assim oito dias de corrida onde serão efectuados um total de 2201 quilómetros percorridos nos mais diversos tipos de terreno. Escolhidos por uma equipa experiente com grande conhecimento do território marroquino, os traçados deste rali vão apresentar percursos inovadores e locais nunca antes percorridos nas edições anteriores.

Com etapas cuja extensão chegará perto dos quinhentos quilómetros, percorrerá pistas rápidas e técnicas, vastas planícies, Chotts e dunas. Mais uma vez as travessias dos Erg Chebbi e Chegaga vão ser  dos momentos mais desafiantes do rali. A organização promete assim uma prova dura que não intimida a equipa Bio-Ritmo® que nela participa pelo terceiro ano consecutivo: “conhecendo um pouco deste rali, sei que apresenta uma primeira etapa verdadeiramente demolidora que nos vai deixar de rastos e com pouca energia para enfrentar as restantes. As passagens de dunas são pensadas para serem difíceis o que, para nós que participamos em camião, se tornam ainda mais complexas. De qualquer forma estamos preparados para enfrentar essas dificuldades, elas não nos intimidam… diria antes que nos entusiasmam!” declarou Elisabete Jacinto.

Esta prova realiza-se, novamente, sob o alto patronato do Rei de Marrocos sua Majestade Mohammed VI.

Morocco Desert Challenge, um dos maiores ralis da atualidade

A piloto Elisabete Jacinto e a equipa Bio-Ritmo® levam a cabo os últimos preparativos para a participação no Morocco Desert Challenge, um dos maiores ralis de todo-o-terreno da atualidade que cumpre este ano a sua décima edição.

O Morocco Desert Challenge, que se realiza em Marrocos, contou este ano com um significativo aumento no seu número de participantes, revelando-se assim uma prova de sucesso. Com um total de 705 pessoas envolvidas provenientes de 24 países diferentes, das quais 18 são portuguesas, apresenta 180 equipas inscritas à partida: 95 nas categorias 4×4, SSV e Buggys; 55 em Motos e Quads e 30 em Camiões.

As suas características singulares distinguem-no de outros ralis e o facto de a organização apostar na dinamização da categoria camião torna esta corrida bastante aliciante para Elisabete Jacinto: “Esta organização distingue-se das demais pela sua grande aposta nos camiões. Assim, a competitividade nesta categoria é muito grande tornando-se, para nós, um grande desafio conseguir um bom resultado… mas esse é o nosso objectivo e estamos confiantes. Empenhámo-nos bastante na preparação do MAN e fazemos votos de que a sorte esteja do nosso lado”, contou a portuguesa.

A grande atratividade deste rali resulta de um conjunto de vários factores dos quais se destaca um percurso diferente do habitual, que se desenvolve de sul para norte e de costa a costa, começando em Agadir, na costa do Atlântico e terminando em Saïdia, na costa do Mediterrânico. Etapas longas e particularmente difíceis que chegam a atingir 500 km de extensão, mas com uma total ausência de ligações, são bastante apreciadas pelos concorrentes. As oito jornadas deste rali desenrolam-se em zonas absolutamente desérticas obrigando a acampamentos todas as noites, reforçando o conceito de maratona e obrigando os concorrentes a difíceis condições de vida. Para além destes aspectos, há ainda a destacar a disponibilidade da organização para comunicar em quatro línguas distintas e para proporcionar uma boa conjugação de equipas amadoras e profissionais.

Os portugueses partem já no início do mês de Abril para Marrocos para competir neste rali onde tem a ambição de alcançar um lugar de topo entre os camiões.

Elisabete Jacinto compete no Morocco Desert Challenge

A piloto portuguesa Elisabete Jacinto, que continua a ser a única mulher no mundo a aventurar-se em longas maratonas de todo-o-terreno ao volante de um camião, vai participar pelo terceiro ano consecutivo no  Morocco Desert Challenge o qual se assume como um dos maiores ralis africanos da actualidade, contando já com 180 equipas inscritas e mais de 700 pessoas envolvidas na prova.

O Morocco Desert Challenge vai realizar-se em Marrocos tendo início no dia 14 de Abril em Agadir e terminando a 22 de Abril em Saïdia, após ter percorrido cerca de 2500 km em 8 etapas.

A equipa que se apresenta à partida para esta prova aos comandos do MAN TGS de competição é composta por Elisabete Jacinto, a piloto, José Marques, o navegador, e Marco Cochinho, o mecânico. Já no MAN KAT de assistência surgem algumas alterações na formação sendo esta constituída por Jorge Gil, director da equipa, Nuno Calhau, piloto do camião de assistência e André Silveira, mecânico assistente.

A participação da equipa Bio-Ritmo® nesta prova marroquina surge apenas três meses depois do Africa Race de 2018, período de tempo dedicado à preparação do camião de competição e de assistência. Os portugueses partem para esta competição com a expectativa de alcançar um bom resultado: Este rali é deveras entusiasmante, não só pelo seu elevado grau de dificuldade como também pelo seu elevado nível de competitividade. Vamos, por isso  cheios de vontade de fazer uma boa prova e ambicionamos mais uma vez um lugar no pódio, revelou Elisabete Jacinto.

Este é já o terceiro ano que os portugueses participam no Morocco Desert Challenge tendo obtido o terceiro lugar da Categoria Camião na edição de 2017 desta difícil maratona de todo-o-terreno.

Elisabete inaugura exposição de fotografias em Faro

A piloto Elisabete Jacinto inaugurou hoje no Forum Algarve a exposição de fotos intitulada “Elisabete Jacinto: Momentos em competição” a qual estará patente na Praça Coberta do centro comercial de Faro até ao próximo dia 13 de fevereiro.

Elisabete Jacinto é uma conceituada desportista portuguesa e durante a sua presença nas mais diversas competições internacionais de todo-o-terreno vai acumulando imagens fantásticas. Algumas dessas fotografias inéditas vão ser agora partilhadas com o público.

Esta mostra, composta por um conjunto de 28 fotografias da autoria do fotógrafo Jorge Cunha, tem como principal objectivo partilhar as vivências da equipa nas mais recentes provas realizadas mostrando o quotidiano de todos os que se aventuram neste género de competições. Desta forma, os visitantes são “transportados” para o dia a dia dos ralis e ficam a conhecer os pormenores que estão por detrás das corridas os quais, em raras ocasiões, passam para o público em geral.

Nesta exposição, Elisabete Jacinto consegue partilhar, de uma forma privilegiada, os bons e maus momentos das competições: “Uma das características destes ralis é o facto de estarmos quase sempre sós no deserto, preparados para todo e qualquer imprevisto bastando-nos a nós próprios. Por essa razão, cada rali é único. Contudo, há situações, emoções, ambições… que são comuns a todos. Aí o fotografo está quase sempre presente e esses são os momentos que podemos partilhar… é por isso que as fotos são tão importante para nós”, explicou a piloto.

No âmbito desta ação serão ainda realizadas – nos dias 10, 11 e 13 de fevereiro das 17h00 às 18h30 – várias sessões de autógrafos com a piloto portuguesa. O MAN TGS de competição da equipa estará em exposição na Praça Central do centro comercial Forum Algarve.

Africa Eco Race 2018 – Chegada a Dakar

AFRICA ECO RACE 2018 CHEGADA A DAKAR YouTube play

Africa Eco Race 2018 – Equipa TV e Médicos

AFRICA ECO RACE 2018 EQUIPA TV E Medica YouTube play

Africa Eco Race 2018 – IMPRENSA E CATERING

AFRICA ECO RACE 2018 IMPRENSA E CATERING YouTube play

Africa Eco Race 2018 – PC COURSE E IRITRACK

AFRICA ECO RACE 2018 PC COURSE E IRITRACK YouTube play