Elisabete inaugura exposição de fotografias em Faro

A piloto Elisabete Jacinto inaugurou hoje no Forum Algarve a exposição de fotos intitulada “Elisabete Jacinto: Momentos em competição” a qual estará patente na Praça Coberta do centro comercial de Faro até ao próximo dia 13 de fevereiro.

Elisabete Jacinto é uma conceituada desportista portuguesa e durante a sua presença nas mais diversas competições internacionais de todo-o-terreno vai acumulando imagens fantásticas. Algumas dessas fotografias inéditas vão ser agora partilhadas com o público.

Esta mostra, composta por um conjunto de 28 fotografias da autoria do fotógrafo Jorge Cunha, tem como principal objectivo partilhar as vivências da equipa nas mais recentes provas realizadas mostrando o quotidiano de todos os que se aventuram neste género de competições. Desta forma, os visitantes são “transportados” para o dia a dia dos ralis e ficam a conhecer os pormenores que estão por detrás das corridas os quais, em raras ocasiões, passam para o público em geral.

Nesta exposição, Elisabete Jacinto consegue partilhar, de uma forma privilegiada, os bons e maus momentos das competições: “Uma das características destes ralis é o facto de estarmos quase sempre sós no deserto, preparados para todo e qualquer imprevisto bastando-nos a nós próprios. Por essa razão, cada rali é único. Contudo, há situações, emoções, ambições… que são comuns a todos. Aí o fotografo está quase sempre presente e esses são os momentos que podemos partilhar… é por isso que as fotos são tão importante para nós”, explicou a piloto.

No âmbito desta ação serão ainda realizadas – nos dias 10, 11 e 13 de fevereiro das 17h00 às 18h30 – várias sessões de autógrafos com a piloto portuguesa. O MAN TGS de competição da equipa estará em exposição na Praça Central do centro comercial Forum Algarve.

Africa Eco Race 2018 – Chegada a Dakar

AFRICA ECO RACE 2018 CHEGADA A DAKAR YouTube play

Africa Eco Race 2018 – Equipa TV e Médicos

AFRICA ECO RACE 2018 EQUIPA TV E Medica YouTube play

Africa Eco Race 2018 – IMPRENSA E CATERING

AFRICA ECO RACE 2018 IMPRENSA E CATERING YouTube play

Africa Eco Race 2018 – PC COURSE E IRITRACK

AFRICA ECO RACE 2018 PC COURSE E IRITRACK YouTube play

Africa Eco Race 2018 – Dia de descanso

AFRICA ECO RACE 2018 - Dia de Descanso YouTube play

Africa Eco Race 2018 – 4

AFRICA ECO RACE 2018 - 4 YouTube play

Elisabete Jacinto segue até Dakar fora da corrida

Elisabete Jacinto terminou a sua participação na décima edição do África Eco Race. Os danos no diferencial da frente do MAN TGS, que partiu durante o sector selectivo de ontem, foram irreparáveis e apesar da equipa ter tentado de todas as formas encontrar uma solução para o problema, as diligências foram infrutíferas.

Recorde-se que o diferencial do camião partiu numa altura em que os portugueses estavam em segundo lugar da sua categoria. O trio conseguiu, ainda assim, terminar a terceira especial circulando apenas com a tração às duas rodas de trás. Na chegada ao acampamento empenharam-se em resolver a situação mas não  foi possível encontrar uma solução que permitisse aos portugueses continuar a corrida.

Todavia, Elisabete Jacinto vai continuar a acompanhar a prova até Dakar: “esforçamo-nos ao máximo por encontrar uma solução para o nosso problema e empenhámo-nos em arranjar um diferencial. Falámos com os concorrentes que tinham camiões iguais ao nosso mas nenhum deles tinha a peça. Contactámos com o importador em Portugal e havia uma possibilidade de mandar vir a peça de Casablanca. A nossa ideia era fazer a reparação no dia de descanso e continuar na corrida a partir da Mauritânia. Mas por causa do fim-de-semana essa hipótese foi desde logo inviabilizada porque necessitavam de pelo menos quatro dias úteis para enviar a peça. Agora a nossa opção é prosseguir até Dakar. O Marco e o Hélder arranjaram uma forma de por o camião a rolar por estrada, o que também foi uma experiência inédita. Tenho mesmo muita pena do que aconteceu porque pela primeira vez os amortecedores estavam excelentes o que me permitia andar bastante rápido. O Zé estava a navegar na perfeição e tudo a corria lindamente quando este desaire sucedeu. Foi de facto uma enorme frustração para todos”, revelou a piloto.

Hoje cumpriu-se a quarta etapa do Africa Race que teve uma longa especial de 499 quilómetros cronometrados. Amanhã a caravana chega a Dahkla, onde a prova realiza, no domingo, o habitual dia de descanso para depois partir para a Mauritânia. O rali termina no dia 14 em Dakar com a disputa da mítica especial cumprida nas margens do Lac Rose.

Africa Eco Race 2018 – 2 e 3

AFRICA ECO RACE 2018 2 e 3 Etapa YouTube play

Elisabete Jacinto discutiu liderança da etapa mas diferencial partido inviabilizou a vitória

Elisabete Jacinto concluiu hoje mais uma etapa do Africa Race 2018, desta feita a terceira que se cumpriu entre Agdal e Assa, em Marrocos. O dia começou bem para a equipa Bio-Ritmo® que registou um andamento muito rápido durante grande parte da especial. Até ao CP2, os portugueses figuravam em segundo lugar entre os camiões e estavam a discutir de perto a liderança com o húngaro Micklos Kovacs. Mas, a poucos quilómetros do CP3, o diferencial da frente do MAN TGS partiu dificultando, desta forma, o andamento dos portugueses que terminaram a jornada no 10º posto da sua categoria.

O trio, composto por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho, chegou mesmo a encontrar-se a 40 segundos do primeiro lugar quando o contratempo surgiu o que acabou por impossibilitar a formação lusa de manter o ritmo particularmente na zona de dunas. A equipa Bio-Ritmo® concluiu o sector selectivo, que teve como vencedor da categoria camião o holandês Gerard De Rooy, em 6h00m02s. Os portugueses seguem agora no quinto posto da classificação geral dos T4.

Apesar de ser uma situação difícil de resolver, Elisabete Jacinto continua em prova: “vínhamos a andar muito bem quando a certa altura ouvimos um barulho. Fizemos mais alguns quilómetros, mas o ruído começou a acentuar-se e parámos para ver o que era. Foi aí que percebemos que o diferencial da frente tinha partido. A partir desse momento fizemos o restante percurso com a tração às duas rodas o que significa que tivemos que rolar mais devagar e foi mais difícil terminar a especial. Ainda assim conseguimos imprimir um bom ritmo até ao fim e agora temos que tentar resolver o problema para amanhã podermos arrancar novamente”, revelou a portuguesa.

Amanhã realiza-se a quarta etapa do Africa Eco Race a qual vai ligar Assa a Fort Chacal. Serão cumpridos 499 quilómetros cronometrados nesta que será a especial mais longa de todo o rali. A jornada será particularmente complexa em termos de navegação e vai exigir muita concentração. Para além de regressarem ao Oued Draa a caravana vai entrar numa zona de planícies sem muitos pontos visuais para navegar. Ainda antes de chegarem ao acampamento, instalado em Fort Chacal, os concorrentes terão como último desafio a travessia do Oued Hamra.